Arquivo | setembro, 2012

O Verdadeiro Traidor – Parte 01

23 set

Aldo Bertoni e sua amante Maria Ângela Bavaresco, há cerca de 15 anos atrás

No último texto dessa análise sobre o tema “traição na Igreja Apostólica”, finalmente chegamos ao ponto chave dessa questão, meus caros amigos e irmãos. Passamos a nossa vida inteira de apostólicos em busca do “joio”, falando dos traidores, e acusando pessoas que simplesmente tentavam nos mostrar a verdade. Mas a verdade, meus caros, é que o grande traidor sempre esteve instalado justamente na direção da Igreja Apostólica. Justamente por ser “o grande exemplo”, é que a Igreja Apostólica tem esse histórico horrível de traições, e a verdade já revelada nos mostra que tais pessoas traíram apenas a conivência com a mentira, com a falsidade e com a manipulação das mentes de pessoas inocentes.

Vejam que enquanto estávamos lá, pregando sobre a suposta santidade e os supostos poderes do Aldo Bertoni, enquanto cantávamos lindos louvores para esse homem, enquanto o defendíamos no rádio, Aldo Bertoni estava nos apunhalando por trás, estava nos traindo, pois ele próprio estava fazendo tudo aquilo que nós combatíamos, os costumes mundanos, a imoralidade, o adultério e a lascívia.

No documento acima, Maria Ângela Bavaresco declara formalmente à Polícia, sob risco de ser presa em caso de falso testemunho, que mantinha relacionamento amoroso com o “santo profeta” e ainda havia recebido valiosos bens como “presentinho”. Aldo Bertoni nunca negou esse relacionamento amoroso.

Essa é a pior das traições, meus caros. Imagine o quanto não mentimos ao povo, em nome de Aldo Bertoni, acreditando que tudo que se fala dele, na igreja, era verdade? Imagine quantas almas não ajudamos, inconscientemente, a se perderem nas teias do fanatismo religioso,  da idolatria e de toda heresia pregada na Igreja Apostólica?

E coloquem-se no nosso lugar, como pastores, pregadores e coralistas que éramos. Enquanto mensageiros do Aldo Bertoni, imagine a quantidade de finais de semanas que abandonamos nossas famílias, gratuitamente, para ir pregar mentiras Brasil afora? Você sabe o que é trabalhar a semana toda, e nos finais de semana que possuíamos para ficar com os filhos, vê-los crescer, preferíamos cumprir a “santa escala”, por achar que estávamos ajudando o Reino dos Céus?

Imagine nós que éramos itinerantes, passávamos o mês todo fora de casa, longe da família, muitas vezes até abandonando os estudos para cumprir algo que imaginávamos ser uma “nobre missão”, em troca de salário de fome, e o fazíamos por achar que estávamos ajudando a Deus? E nós, coralistas, especialmente sendo da Sede, que perdemos quase todos os finais de semana de nossas vidas, tendo que “bater ponto” no salão de ensaios todos os sábados e todos os domingos, a partir das 14 horas? E tudo para quê? Para cantar louvores a um homem que por detrás, nos traia todos os dias? Para ajudar um homem corrupto e pecador a arrecadar o suado dinheiro de pessoas simples, através da comoção da nossa música?

Ilmara Bonato, ex-frequentadora da congregação apostólica de Panorama-SP, entre outras, foi à salinha do “santo Aldo” pedir conselhos sobre o casamento, pois seu marido encontrava-se há tempos no Japão. O conselho do Aldo Bertoni foi: “larga ele e fica comigo”, o que aceito pela moça. Em troca, ela, que antes que não tinha nada, recebeu carros e casa em São Paulo, além de uma bela “mesada” mensal, tudo financiado por nós, apostólicos.

Sabe o que é pior, meus caros irmãos e amigos? Muita gente na Sede sabe dessa sujeira toda. A família Stancey, por exemplo, era amiga dessa moça, a Ilmara Bonato, e em diversas vezes ela já dormiu na casa deles. A filha do João Stancey, por exemplo, a Rosa Stancey, hoje se refere à Ilmara como uma “vagabunda” por ter dormido com o Aldo Bertoni, e diversas pessoas são testemunhas desse diálogo.

E por quê, mesmo sabendo de toda essa sujeira, esse pessoal ainda defende o Aldo Bertoni? Dinheiro. O dinheiro SEMPRE é o que move a corrupção, meus caros. E na Igreja Apostólica, infelizmente, essa corrupção toda é alimentada inocente e voluntariamente pelo povo apostólico.

 

Neste vídeo, de junho de 2009, Aldo Bertoni foi seguido por detetive contratado por alguns irmãos apostólicos, por 3 noites, após sair da Igreja Apostólica, e nos 3 dias foi direto para a casa de sua amante Ilmara Bonato, que morava próximo ao bairro do Butantã. Hoje, Aldo Bertoni já colocou a moça em um apartamento, para evitar que sejam dados novos flagrantes de suas visitinhas.

No próximo post, muitos poderão conhecer um outro exemplo das facadas pelas costas que todos os apostólicos fiéis e sinceros levam todos os dias do falso profeta Aldo Bertoni. Trata-se de algo descoberto em um outro processo judicial movido por um ex-segurança do Aldo, que agora será revelado.

Meus caros, por mais dolorosa que a verdade seja, bendita seja ela. Antes viver a dura verdade do que viver uma grande mentira, em um reino das fantasias criado por espertalhões com o único intuito de nos explorarem e enriquecerem materialmente.

Fiquemos todos com Deus.

Eles Foram Traidores?

19 set

O casal de fundadores da Igreja Apostólica, no início dos anos 80

Essa é a pergunta que todo apostólico que ainda acredita em Aldo Bertoni deve responder para si mesmo: você realmente acredita que os próprios fundadores da Igreja Apostólica, como a conhecemos, tenha traído a igreja, sua doutrina e seus ideais?

Pois se você diz que acredita no Aldo Bertoni, é obrigado a aceitar que sim, eles são traidores, porque é o próprio Aldo Bertoni quem afirmou isso por diversas vezes. Se você tiver ao menos um pouco de memória, e costuma prestar atenção nas pregações, há de se lembrar disso.

Primeiro foi a vez de Eurico Mattos Coutinho, que apesar de ter errado a ponto de entregar a Igreja Apostólica nas mãos do diabo, ao permitir que doutrinas estranhas ao Evangelho de Jesus Cristo adentrassem aquele templo, era homem honesto. Fez o que fez por acreditar naquilo, e não com interesses paralelos. Se duvida disso, basta ver o parco patrimônio que Eurico deixou aos seus herdeiros, apesar de ter falecido na condição de Diretor Presidente da Igreja Apostólica.

Vejam que logo após falecer, em 1984, sua própria esposa, a Missionária Odete Correa Coutinho, passou a dizer que Eurico havia morrido porque quis o lugar de Aldo Bertoni. Veja as cópias do livro “Nossa História, Nossas Vitórias”, de autoria da Odete e do Aldo Bertoni, publicado em 1988, onde isso é dito:

Clique nas imagens para ampliá-las

Meus caros, quem conheceu o Bispo Eurico Mattos Coutinho, sabe que ele NUNCA almejou cargo algum além do dele, de  presidente-fundador da igreja, e se você ainda tem alguma fita com suas pregações, poderá ouvir que sua palavra era sobre JESUS CRISTO, ainda que de forma um pouco distorcida, e não sobre ele próprio, como Aldo Bertoni manda os pastores e pregadores de hoje fazer, onde pregam sobre ele, Aldo, sobre sua tia, e quase nada sobre a Palavra de Deus. E mesmo o pouco que pregam sobre Deus, ainda o fazem de maneira distorcida e totalmente fora de contexto, quase sempre com a finalidade de enaltecer ainda mais o próprio Aldo e sua tia Rosa.

O que realmente levou Eurico a deixar de aceitar Aldo Bertoni e não mais crer em nada do que falavam sobre ele, foi sua própria descoberta da verdade. Infelizmente, para Eurico era tarde. Quando descobriu que havia alojado um bandido na direção da igreja, com estatuto e tudo, não podia fazer mais nada. Além de Aldo Bertoni possuir poder legal sobre a igreja, ainda possuía poder sobre as mentes das pessoas. Era só ele dizer que “era a vó” que estava dando determinada ordem, que todos obedeciam, mesmo que essa ordem fosse para as pessoas desprezarem o próprio presidente da igreja. E, de fato, foi isso que ocorreu: nos últimos meses de vida de Eurico, Aldo Bertoni deu ordem a todos os funcionários do escritório para não atenderem mais às ordens do Bispo, POIS ISTO ERA ORDEM DA “VÓ” ROSA.

Talvez isso, meus caros, tenha acelerado a morte de Eurico, que em seus últimos dias apresentava profundo quadro de depressão.

Quanto à Odete, tudo leva a crer que aconteceu o mesmo que acontece com muitas mulheres apostólicas: se encantam com os “olhos claros” de Aldo Bertoni. Se não bastasse todo o mito que gira em torno desse homem, temos que admitir que Aldo, de fato, sabe lidar com as mulheres. Não estamos, de forma alguma, afirmando que Odete tenha sido mais um caso amoroso do “profeta mulherengo”, até porque Aldo Bertoni sempre preferiu mulheres mais novas, mas esse “encantamento” que Aldo sabe jogar muito bem sobre suas vítimas, certamente ajudou para que Odete aceitasse suas histórias absurdas.

Mas vejam que foi só Odete cair doente numa cama, deixando de ser útil para o Aldo Bertoni, que já foi largada à própria sorte.

Missionária Odete, em 2003, já doente havia 3 anos

Vejam como o mundo dá voltas, meus caros amigos. Anos antes, Odete havia pregado e escrito que seu marido não gostava do Aldo Bertoni porque queria o lugar dele, e que por causa disso havia perdido a proteção de Deus. E não é que o mesmo aconteceu com ela? Quando se afastou da direção da igreja por problemas de saúde, Odete deixou de acreditar em Aldo Bertoni, e certamente fez isso por cair na realidade, e passou a admitir que Aldo não era quem dizia ser. Aliás, já pararam para pensar que Odete pode ter tido o AVC (derrame) que a jogou na cama por 10 anos justamente por conta do nervoso e decepção pelo qual pode ter passado por descobrir tudo o que viríamos a saber anos mais tarde sobre o Aldo Bertoni?

Vejam o que Aldo Bertoni mandou o ex-pastor Walter Keppler pregar do púlpito da Sede, no ano 2000, logo após Odete ficar adoentada:

Meus caros irmãos apostólicos que ainda acreditam no mentiroso Aldo Bertoni, sejam sinceros em responder: vocês realmente acreditam que este casal, fundador da Igreja Apostólica como a conhecemos, pessoas integralmente dedicadas à Igreja Apostólica desde sua criação até sua morte, tanto é que moravam nos fundos da igreja, realmente sejam “traidores” da “santa igreja”? Vocês acham que as pessoas normalmente costumam rasgar e jogar fora todo seu histórico de vida, toda sua crença, por motivos irrelevantes? Sejam sábios, meus caros!

Reafirmamos: foi sim condenável o erro cometido pelo casal de fundadores da igreja, que foram tão incautos a ponto de desprezarem as Escrituras Sagradas para criarem sua própria doutrina, sob influência diabólica de Rosa Alves e seu sobrinho Aldo Bertoni. Mas tudo o que eles fizeram, o fizeram de coração, sem interesses financeiros, com dedicação, porque acreditavam em tais tolices. O grande mal, meus caros, tem outro nome, e ainda continua praticando seus crimes e pecados: ALDO BERTONI. É contra esse mal que devemos lutar. Aldo explorou a nossa fé para enriquecer, abusou de nossa confiança para explorar-nos em todos os sentidos, se valeu de seu poder sobre as nossas mentes até para explorar sexualmente várias de suas fiéis. Entendem por que nunca desistimos desta luta por justiça?

Reflitam sobre isso. E que Deus abençoe a todos nós.

Igreja Apostólica – A Origem do Mal

15 set

Um registro fotográfico da fundação da Igreja Apostólica

Continuando a analisarmos o assunto discorrido na postagem de ontem, sobre o início da Igreja Apostólica, hoje recebi um interessante e-mail de um irmão daquelas épocas, antigo companheiro de Ministério na Igreja Apostólica. Juntamente com a mensagem que reproduziremos logo abaixo, também recebemos a foto acima, tirada ainda na “Tenda de Deus para a Salvação e Cura Divina”, que nessa época ainda estava sob a direção do Missionário William Schaffer. Nela, o casal que mais tarde viria a fundar a “Igreja Evangélica Apostólica do Brasil” e posteriormente renomeada para somente “Igreja Apostólica”, o Bispo Eurico Mattos Coutinho e sua esposa, a Missionária Odete Correa Coutinho, posam diante da Tenda.

Vejam, meus caros, que a revelação de todo este contexto histórico muito explica sobre a situação da Igreja Apostólica hoje. Todo o mal, a mentira e a enganação que hoje sabemos lá existir, tem origem em um erro dos próprios fundadores da igreja. Vocês se lembram como Jesus foi pego e preso pelos seus algozes? Por causa de uma traição, não foi? Quantas vezes você não se acostumou a ouvir a palavra “traidor” dentro da Igreja Apostólica? Muitas, com certeza. Vejam a mensagem que recebi hoje, que reproduzo na íntegra, por expressar exatamente aquilo que gostaríamos que os irmãos percebessem.

Fiquemos todos com Deus.

O DNA DA IGREJA APOSTÓLICA

Não é à toa que vemos tantos casos de traição na Igreja Apostólica. Irmãos que se traem, esposas que traem maridos e vice-versa, obreiros que traem a direção da igreja, a própria direção da igreja que trai seu próprio povo. A traição está no DNA da Igreja Apostólica. Sua fundação só aconteceu por conta de uma traição. 

William Schaffer foi traído por Eurico Mattos Coutinho. O primeiro, confiando no segundo, foi para seu país em busca de dinheiro para fundar um programa de rádio, e o segundo, aproveitando-se de sua ausência, tratou de tomar o lugar do primeiro. Nessa história, o Missionário norte-americano ainda saiu como traidor, por ter supostamente “abandonado” a Tenda e voltado aos EUA.

Anos mais tarde, o próprio Eurico Mattos Coutinho também foi traído. Confiou na história contada pelo seu ex-motorista, o Aldo Bertoni, e acabou traído por ele, que tomou o seu lugar assim que conquistou a confiança do povo.

Se você ler o livro “Nossa História, Nossas Vitórias”, descobrirá que Odete Correa Coutinho chamou o próprio marido, naquela época recém falecido, de traidor. Começou a dizer que o falecido marido queria o lugar do Aldo Bertoni, e por isso havia perdido a graça de Deus e morreu.

Mas vejam como o mundo dá voltas. Quando ficou doente, no ano 2000, a própria Odete também foi chamada de traidora pelo Aldo Bertoni. O “santo profeta” passou a sustentar que não podia fazer nada por Odete, enferma, porque ela havia o traído e não cria mais nele. Tal fato está registrado em fita, e já até foi divulgado na internet para quem quisesse ouvir.

E agora, o próprio Aldo Bertoni é traído. Ainda que pessoas tenham corretamente denunciado seus crimes, podemos dizer que Aldo foi traído por gente que conhecia seus negócios particulares e suas falcatruas.  Gente em quem ele confiou para deixar de esconder seus negócios escusos. E foi traído.

Percebem como a direção da Igreja Apostólica é um círculo constante de traição sobre traição? E assim será, até que esta igreja verdadeiramente se entregue a Jesus Cristo, o único em que há fidelidade.

A traição é de natureza diabólica. O próprio Satanás foi alçado à condição de inimigo de Deus justamente por ter traído o Criador, e ter incentivado o primeiro casal a também trair a Deus.

A Igreja Apostólica tornou-se uma igreja de rebeldes. Rebelaram-se contra o puro evangelho de Jesus Cristo, preferiram seguir novas regras criadas por humanos, afastando-se daquelas deixadas por Deus. Estão pagando o preço: passam vergonha diante da sociedade, não são reconhecidos pela sociedade em nenhum ponto de seu trabalho, estão submetidos a um grande sacrifício de tolo, submetendo-se a regras rígidas que não tem qualquer valor para Deus, vivem traindo sua própria doutrina criada por homens, não são materialmente abençoados, a própria Obra da igreja não é abençoada, vive em miséria, sem recursos para melhoria ou expansão, são explorados financeiramente pelos seus próprios dirigentes, adoram a um homem que faz tudo aquilo que ele próprio proíbe. 

Os apostólicos de hoje são reféns da traição e da mentira, fruto de escolhas erradas de gerações passadas.

Até entre eles, que ainda estão lá acreditando na falsa doutrina, estão se traindo. Você, Martinho, é prova disso, pois recebe informações e documentos lá de dentro, enviado por gente que julgam ser fiéis apostólicos. Estão sendo traídos dentro da própria casa, e não descobrem de forma alguma quem são os traidores. E assim será para sempre, enquanto não tiverem humildade suficiente para aceitar que estavam errados, pedirem perdão a Jesus por terem traído-o, e recomeçarem do zero, da forma como Cristo nos ensina através do texto sagrado.

Só Jesus na causa desse povo. Que o Senhor possa abençoar cada vida que está naquele lugar, sendo levada para o matadouro pelo ladrão das ovelhas de Jesus. Amém.

Curiosidades Sobre o Início da Igreja Apostólica

14 set

Reverendo William Schaffer, o verdadeiro fundador da Igreja Apostólica, em 1954, morreu em 17/01/2009, nos Estados Unidos

*  *  *

Quando críamos em Aldo Bertoni e sua falsa doutrina, éramos estimulados a não pensar, a não pesquisar e a somente acreditar no que é pregado dos púlpitos apostólicos. Verdadeiramente, nunca soubemos exatamente como surgiu a Igreja Apostólica, e o que sabíamos eram as histórias contadas pelos próprios membros da igreja.

Mas o que realmente aconteceu na década de 50? Será que você conhece a verdadeira história da Igreja Apostólica?

Desde que descobrimos as falcatruas do Aldo Bertoni, temos nos empenhado em saber toda a verdade, e há três anos pesquisamos por diversas fontes os acontecimentos que levaram à criação da Igreja Apostólica em 1954.

Oficialmente, a história que conhecemos é que a Igreja Apostólica surgiu numa Tenda no bairro do Tatuapé, e era liderada por um pastor norte-americano. Certa vez este pastor precisou viajar aos Estados Unidos e deixou a Tenda sob responsabilidade do então pastor Eurico Mattos Coutinho, que conhecemos como “BISPO” da Igreja Apostólica. Aproveitando a ausência do líder, Eurico desmontou a Tenda e se mudou para uma Sede alugada na Rua Tuiuti. Quando o pastor norte-americano voltou de seu país, não encontrou mais a Tenda e acabou por mudar-se para outro lugar desconhecido.

Quem possui uma certa idade, é antigo na Igreja Apostólica e sempre prestou atenção nas pregações da igreja, consegue se lembrar de João Stancey, o nosso escritor de boletins, pregando por dezenas ou até centenas de vezes estes fatos que vamos relatar aqui. Quem não se lembra de Stancey dizendo, por exemplo, que o “pastor americano só queria dinheiro, por isso a então diaconisa vó Rosa agiu para se separarem dele”. Stancey também gostava de repetir que nessa época surgiram “dezenas de rebeldes”, dispostos a destruírem a “santa igreja”. Você se lembra de pregações como essa?

Pois bem, meus caros irmãos e amigos, mas a história que temos apurado não é essa que João Stancey gosta de contar por aí. A realidade é um pouco mais triste.

Em uma análise mais fria, você concluirá que a Igreja Apostólica, na verdade, surgiu a partir do “roubo” de uma liderança evangélica, fato causado por uma insana disputa de poderes e de egos inflados, e se isolou por começar a pregar as heresias ditas pela falecida Rosa Vicente (a “santa vó” Rosa), que mais tarde haveria de se tornar Rosa Alves, após se casar com um pastor bem mais jovem que ela.

O tal “pastor americano”, que na verdade é o verdadeiro fundador da Igreja Apostólica, é o Missionário William Schaffer. Por volta de 1948, este Missionário chegou no Brasil com a missão de evangelizar os brasileiros, e para isso utilizava tendas espalhadas por vários pontos do território brasileiro (nos links abaixo você saberá mais sobre a história das tendas). No Tatuapé, onde hoje fica a biblioteca do bairro, o Missionário norte-americano fundou a “Tenda de Deus para a Salvação e Cura Divina”, em 1954, onde começaram a congregar o casal Eurico Mattos Coutinho e Odete Correa Coutinho, que conhecemos como o “bispo e a missionária da Igreja Apostólica”.

É bom que saibam que naquele período, aproximadamente entre 1954 e 1956, a Tenda era frequentada por diversos homens que viriam, mais tarde, a serem os fundadores de diversas outras denominações (igrejas) pentecostais, como a Igreja Pentecostal Deus é Amor, Igreja do Evangelho Quadrangular, Igreja Unida (antiga Igreja Maravilhas de Jesus), Igreja Evangélica Pentecostal O Brasil para Cristo, entre outras.

Eurico, na verdade, já era pastor de uma outra igreja, que se chamava “Maravilhas de Jesus”, e quando a tenda foi armada no Tatuapé, logo passou a frequentá-la junto com outros membros de sua antiga igreja. Rapidamente Eurico tornou-se pastor também na Tenda. Em 1956, o Missionário William Schaffer voltou aos EUA em busca de recursos para financiar um programa de rádio de evangelização aqui no Brasil. Era o embrião da “A Hora Milagrosa”. Durante o tempo em que ficaria fora do Brasil, William nomeou Eurico para lhe substituir na liderança da Tenda. Foi o começo da “tragédia apostólica”.

Estimulado pela católica-espírita Rosa Vicente, uma nova adepta da Tenda com quem o casal fez amizade, Eurico começou a divergir do puro evangelho que até então era pregado na Tenda. Rosa começou a dizer que tinha “sonhado com Jesus Cristo”, e que Este havia mandado ela mudar muitas coisas por ali.

O primeiro passo foi desmontar a Tenda, sem o conhecimento do líder do movimento, que estava em viagem, e alugar um salão na Rua Tuiuti, que existe até hoje. Em seguida, mudaram o nome de “Tenda de Deus para a Salvação e Cura Divina” para “Igreja Evangélica Apostólica do Brasil”. Aos poucos, Rosa Vicente, que foi nomeada diaconisa pelo casal, ia conseguindo influenciar e convencer o casal de líderes a modificar vários pontos doutrinários, com a inclusão de doutrinas católicas como a veneração a Maria, crença no purgatório (que na Igreja Apostólica é chamado de “descanso”), exclusão dos hinos da Harpa Cristã do hinário da nova igreja, abolição das orações com imposição de mãos, etc.

Aos poucos, muitos dos pastores e membros da antiga Tenda, começaram a perceber o mal caminho para onde caminhavam Eurico e seus seguidores, e começaram a abandonar a igreja e partirem para outras denominações. Estes são os “rebeldes” a qual João Stancey se refere em suas pregações quando fala sobre a história da Igreja Apostólica.

Em 1962, o nome da “Igreja Evangélica Apostólica do Brasil” foi alterado, por influência da diaconisa Rosa Vicente, para simplesmente “Igreja Apostólica”. Foi nessa época, entre o final dos anos 50 e início dos anos 60, que saíram da Igreja Apostólica diversos pastores que mais tarde viriam a fundar as igrejas que citamos aqui.

Curioso notar que entre as igrejas fundadas a partir de uma cisão da Igreja Apostólica, todas são muito maiores, abençoadas e prósperas do que a própria Apostólica. Perceberam? A “Deus é Amor” (1962), hoje possui aproximadamente 17.584 filiais espalhadas pelo Brasil e mais 134 países. A “Brasil para Cristo” (1955), possui hoje cerca de 4.000 templos espalhados pelo Brasil. A Igreja do Evangelho Quadrangular, que é independente da igreja homônima americana e foi fundada no Brasil em 1951, teve sua implantação impulsionada em São Paulo a partir da dissidência de membros da Tenda que então já era comandada por Eurico Mattos Coutinho. Essa denominação hoje possui cerca de 5.530 templos espalhados só no Brasil.

Meus caros, percebem as gritantes diferenças entre as igrejas que se originaram no seio da Igreja Apostólica? Vejam a quantidade de templos que possuem essas igrejas, e vejam a quantidade de templos que possui a Apostólica: míseros 270 templos! E a maioria em condições degradantes. Não é necessária qualquer grande dotação mental para perceber que há algo, no minimo,  muito errado nessa história. Por que essas igrejas fundadas após a Apostólica, foram muito mais abençoadas em seus ministérios do que os apostólicos?

Se não fosse o fanatismo religioso criado por Aldo Bertoni, só essa pergunta já seria suficiente para estimular muitos apostólicos a fazerem contas e cobrarem explicações da direção da Igreja Apostólica. Este fato por si só, o grande fracasso na expansão da Obra Apostólica nestes últimos 50 anos, já nos mostra o tamanho da roubalheira promovida pela família Bertoni, às nossas custas.

Meus caros amigos e irmãos, quem tiver interesse em saber mais sobre a origem da Igreja Apostólica, deem uma lida nos documentos constantes nos links abaixo. São relatos históricos que encontramos sobre a história de uma das igrejas fundadas a partir de pastores que congregavam junto com o Bispo Eurico Mattos Coutinho na Tenda de Deus para Salvação e Cura Divina, o embrião da Igreja Apostólica. Aliás, quem ler o conteúdo dos links, descobrirá que a “Igreja Unida” é fruto da fusão de duas outras igrejas fundadas pelos primeiros “apostólicos” com a antiga “Maravilhas de Jesus”, a denominação onde o Bispo Eurico Mattos Coutinho foi pastor antes de fundar a Igreja Apostólica e onde se “converteu” o hoje farsante “pastor apostólico” João Stancey.

HISTÓRIA DA IGREJA UNIDA (EX-MARAVILHAS DE JESUS)

MONOGRAFIA – IGREJA UNIDA

Em breve, no site www.acordapovoapostolico.com, disponibilizaremos todo o conteúdo do material levantado em nossa pesquisa sobre a verdadeira história da Igreja Apostólica e sua direção.

Fiquemos todos com Deus.

Boletim de 13/09/2012

13 set

Vejam o que não faz a falta de assunto, meus caros irmãos e amigos.

Estamos no dia 13 de setembro, e por falta do que falar ao povo apostólico, os cúmplices do falso profeta Aldo Bertoni já estão colocando no Boletim as mensagens sobre o dia 26 de outubro, o aniversário de morte da tia do Aldo Bertoni, a “santa vó” Rosa Alves.

BOLETIM DE 13/09/2012

O mais triste nisso tudo é saber que o povo apostólico, sem conhecer a verdade e iludido pelo falso profeta, engole esse tipo de coisa como se fosse palavra de Deus. Ao mesmo tempo em que fazem isso, ignoram a rica Palavra de Deus presente em nosso meio através da Bíblia Sagrada. Se tivessem o livro santo como doutrina, os apostólicos não estariam sofrendo com tanta repetição, tanta chatice e com tantas ilusões e mentiras. Não é à toa que quando são fotografados durante as reuniões, os apostólicos são vistos com cara de sono, tristes, como que loucos para ir embora logo.

“Lâmpada para os meus pés é tua Palavra, e luz para o meu caminho”

(Salmo 119:105)

Nos entristecemos por aqueles pobres irmãos apostólicos que podem vir a falecer sem conhecer esta Palavra maravilhosa, que nos permite escapar das ciladas do inimigo, nos livra de pessoas más, enganadoras, mentirosas como Aldo Bertoni. Que Deus tenha piedade desses irmãos.

Algo que não podemos deixar de notar nos boletins hereges: perceberam os avisos publicados nos Boletins dos últimos meses? Notaram que simplesmente desapareceu aquela coluna intitulada “DEIXAM O CARGO”?

Infelizmente nossos pobres irmãos apostólicos não possuem condições mentais, devido ao fanatismo religioso, de perceberem como estão sendo manipulados pelos cúmplices do Aldo Bertoni, gente que depende dessa farsa toda para viver confortavelmente às custas do povo. Percebem que não estão mais divulgando os nomes daqueles pastores, pregadores e diáconos que deixam o cargo ou mesmo a igreja? Isso é proposital, com o único intuito de esconder do povo, a quantidade de pessoas que estão se tocando do golpe do qual são vítimas e caindo fora.

Aliás, sabiam que oficialmente, eu mesmo, ainda sou Pastor da Igreja Apostólica? Meu nome sequer saiu no Boletim, o que significa que ainda detenho o cargo. Percebem a incoerência?

Que esta análise sirva de reflexão para você, que nos lê e ainda acha que exista alguma honestidade na administração da Igreja Apostólica.

Que Deus abençoe a todos nós.

Boletim de 06/09/2012

13 set

Este boletim, publicado pela Igreja Apostólica na semana passada e pregado em todas as 270 congregações apostólicas durante o último final de semana, é bastante revelador. Vejam que o título do pedido de dinheiro é “A Igreja Apostólica é o nosso LAR ESPIRITUAL e o caminho para o céus”.

BOLETIM DE 06/09/2012

Meus caros irmãos e amigos, faça uma breve pesquisa na Google com o termo “LAR ESPIRITUAL” e facilmente você descobrirá que este é um termo utilizado por 100% dos ESPÍRITAS quando falam de sua doutrina. Há tempos temos denunciado que Aldo Bertoni e seus familiares são, na verdade, todos espíritas, e agora estão deixando transparecer isso até nos boletins? Será que João Stancey também se converteu ao espiritismo? Ou será que este Boletim foi escrito pelo também espírita José Roberto Rozani, o “Robertinho”?

Incrível como em apenas uma frase eles conseguem transmitir toda a heresia que está sendo ensinada ao povo apostólico. Percebem como o diabólico Aldo Bertoni e seus cúmplices afastam cada vez mais os irmãos apostólicos do evangelho de Jesus Cristo? Releiam o título do pedido de ofertas. Ensinam que a IGREJA, uma instituição humana, portanto imperfeita e corrompível, é o caminho da salvação. Mas vejam o que ensina Jesus Cristo, o verdadeiro autor da salvação:

Disse-lhe Jesus: Eu sou o caminho, e a verdade e a vida;

ninguém vem ao Pai, senão por mim.”

(João 14:6)

Percebem a estúpida diferença entre o que ensina Jesus Cristo e o que ensinam os cúmplices do bandido Aldo Bertoni?

Cabe a você, meu caro irmão apostólico que nos lê, decidir a quem quer seguir: ao Senhor da sua e da nossa salvação, ou a um anti-Cristo que ensina tudo ao contrário do que nos ensinou o Senhor?

Fiquemos todos com Deus.

Boletim de 30/08/2012

13 set

Meus caros irmãos e amigos, sabem qual a nossa maior dificuldade em divulgarmos semanalmente os “boletins da mentira” publicados pelos cúmplices do Aldo Bertoni, aqui na internet? É ter que lê-los. Cada vez que fazemos isso, sentimos vergonha por um dia ter acreditado nesse monte de besteiras e, pior, ter-lhes pregado tamanhas mentiras.

BOLETIM DE 30/08/2012

O Boletim abaixo foi pregado durante a realização da última festa do batismo, onde também se comemorou o aniversário do falso profeta, o diabólico Aldo Bertoni, farsante e mentiroso de primeira linha que por décadas nos enganou e nos explorou psicológica e financeiramente.

Como sempre, o documento é iniciado com aquilo que realmente interessa para o Aldo Bertoni e seus cúmplices: pedindo dinheiro. Citam, como justificativa, as “despesas da festa”, mas como pudemos ver em postagens anteriores, as festas na Sede são altamente lucrativas para a família Bertoni e seus cúmplices, pois ganham de todos os lados, nos ônibus, nas vendas de alimentos, Cds, fotos, e nas ofertas extras em todos os dias da “festa”. Do que se arrecada numa dessas festas na Sede, não se gasta nem a metade durante a própria festa, palavra de quem conhece aquilo por dentro. O que “sobra”, é lucro da família Bertoni.

Na segunda parte do texto, sob o título “O amor fraternal e a união são importantes para a obra da Igreja Apostólica”, podemos constatar algo flagrantemente contraditório. Ao mesmo tempo que João Stancey, o cúmplice do Aldo Bertoni responsável por redigir este Boletim, fala de “amor fraternal”, ignora o fato dos apostólicos serem ensinados a se afastarem, a desprezarem e até odiarem todos aqueles que deixam de acreditar na falsa santidade do Aldo Bertoni, mesmo que sejam amigos íntimos ou até mesmo familiares. Quantos casos não conhecemos, na Igreja Apostólica, de famílias que estão desunidas e destruídas por causa do falso profeta? São muitas, e se você repassar mentalmente seus amigos apostólicos, certamente se lembrará de alguém nessa situação.

Por fim, vemos no texto intitulado “Palavras de amor, gratidão e homenagem do povo apostólico ao irmão Aldo na data do seu aniversário”, algo simplesmente curioso, que nunca prestamos atenção enquanto estávamos lá, sendo enganados. Os apostólicos não gostam de dizer que o Boletim é escrito pelo Aldo Bertoni? Inclusive, normalmente os textos vem com a expressão “eu, irmão Aldo”, para que o povo tenha certeza de que é ele quem está escrevendo. Então, será que neste texto é o próprio Aldo Bertoni quem está se auto-homenageando? Vejam que logo no início do texto, o autor é identificado: “NÓS, O POVO APOSTÓLICO”. Mas QUEM é esse “povo”, de fato?

Reflitamos nisso, meus caros, para que não caiamos mais neste tipo de cilada.

Persistamos em nossas orações para que nossos pobres irmãos apostólicos também sejam libertos do profeta diabólico Aldo Bertoni e sua quadrilha de criminosos.

Fiquemos todos com Deus.