O Que Piorou?

3 mar

José Solyom, o presidente, e Wagner Ormanji, o vice-presidente. Mas na verdade quem manda é Wagner. Solyom é meramente figurativo, mal sabe o que acontece na sala ao lado, como você mesmo pôde atestar ouvindo o áudio daquela fatídica reunião em 26 de novembro de 2014, onde o próprio presidente confessou não saber de nada sobre a corrupção existente bem embaixo de seu nariz.

* * *

Caros irmãos e amigos apostólicos, sem margem para dúvidas, o que piorou – e muito – na Igreja Apostólica nesses quase 3 anos de sua morte, foi a esperança de que a nova direção, ao longo do tempo, contasse a verdade aos apostólicos sobre quem foi Aldo Bertoni.

Dos atuais seis integrantes do Conselho Deliberativo, é verdade que dois já eram comprovadamente corruptos e mentirosos aliados do bandido Aldo Bertoni, dois eram fanáticos que fecham os olhos para os erros ali existentes apenas para manter o “status quo”, e dois eram realmente novatos no conhecimento dos bastidores da administração da Igreja Apostólica.

A esperança residia nesses dois.

Falamos de Luiz Carlos dos Santos e de Wagner Ormanji.

O primeiro, Luiz Carlos, sempre foi fanático, ainda mais depois que seu filho adolescente morreu em um acidente de trânsito. Na dor, Luiz Carlos mergulhou de cabeça na religião, e sentia conforto quando o farsante profeta disse que “tinha salvado seu filho”, apesar do rapaz ter morrido numa disputa de “racha” com amigos. Mas Luiz Carlos, até onde sabemos, era honesto. Então por que, mesmo agora que tem conhecimento sobre quem foi Aldo Bertoni e quem eram os corruptos que Aldo empregava na administração da igreja, continua defendendo toda a mentira?

O segundo, Wagner Ormanji, é um caso ainda mais intrigante. Talvez seja um dos apostólicos mais bem sucedido profissionalmente, o que lhe garante independência financeira sem precisar do dinheiro da Igreja Apostólica.

Wagner é engenheiro químico na Braskem, uma multinacional brasileira do setor petroquímico, pertencente ao Grupo Odebrecht. Sim, aquele envolvido até a alma na Operação Lava Jato, mas isso não tem nada a ver com Wagner.

É um homem inteligente, bem relacionado, até onde sabemos, honesto. Então, como explicar o que ele está fazendo com o povo apostólico? Quais são as razões de Wagner Ormanji?

Pelas suas costas, caro irmão e amigo apostólico, Wagner e os demais conselheiros tem feito muitas coisas que certamente você desconhece, senão já teria saído atrás da verdade e hoje já não seria mais um enganado apostólico.

*

Reuniao141214-Ormanji

Ao mesmo tempo que Wagner sobe no púlpito e fala a você, apostólico fiel, que Aldo Bertoni é santo, também manda o advogado da igreja dizer à justiça que Aldo Bertoni era corrupto, ladrão e roubava a Igreja Apostólica. Duvida? Então lhe mostraremos em breve tudo o que está acontecendo nos tribunais, bem longe dos seus olhos.

*

Nas próximas postagens, lhe mostraremos algumas dessas ações adotadas por Wagner Ormanji e seus colegas de Conselho Administrativo. Tudo bem caladinho, decidido entre eles, para que você não se escandalize com o que está acontecendo na Igreja Apostólica.

Boa parte do que iremos lhe mostrar aqui não é mais novidade para muitos apostólicos. Há um grupo “rebelde” bem no seio da Igreja Apostólica, que possui cada vez mais a atenção de muitíssimos apostólicos. Também falaremos sobre esse “poder paralelo” que está se formando na seita.

Fiquemos todos com Deus, e continuemos a orar e a lutar para que a verdade seja contada aos nossos pobres e incautos irmãos apostólicos.

14 Respostas to “O Que Piorou?”

  1. lijoju2014 17/07/2017 às 18:22 #

    POVO APOSTÓLICO- UM POVO ILUDIDO A CADA DIA.

    O povo apostólico é um povo iludido e enganado pelo próprio conselho deliberativo. Infelizmente isto ocorre por se tratar de um povo orgulhoso e cheio de si, por achar que são os donos da verdade. São pessoas alienadas que não buscam informação e preferem serem guiadas por um grupo de pastores corruptos.

    O fato que vamos explanar está citado no boletim número 3052 de 08/06/2017, em matéria sob o título: ESCLARECIMENTO DO CONSELHO DELIBERATIVO.

    O Conselho deliberativo informa sobre uma cobrança de dívidas movida pelo senhor Mário Scacciotti Júnior no valor de três milhões e meio), dívidas estas assinadas em 10/08/2002; 05/09/2003 e 27/03/2004.
    Uma outra referência é de um contrato de dívida assinado em 07/12/2011, no valor de 5 milhões de reais.

    VEJAM AS DATAS !!!
    10/08/2002
    05/09/2003
    27/03/2004
    07/12/2011.

    PERGUNTA QUE FAZEMOS AOS APOSTÓLICOS:
    1)–Quem era o comandante da igreja, nas datas citadas acima??
    –Ora, não sejam ingênuos:- Quem comandava a igreja nas referidas datas era o tal profeta Aldo Bertoni.
    2) Há …então isto significa que o tal profeta realizou negócios ilícitos ??
    3) Como pode um homem que se dizia “santo”, realizar negócios ilícitos??
    4) Vocês não dizem que o homem falava com deus??
    5) E que deus picareta era este que não mostrou nada para o profeta, que o negócio era ruim e ficaria a dívida para o povo pagar, depois da sua morte??
    6) E você ainda continua acreditando que Aldo Bertoni é santo??

    Que o Deus verdadeiro, Criador dos Céus e da terra, tenha misericórdia deste povo.

    Curtir

  2. lijoju2014 17/07/2017 às 15:41 #

    COMO PODE?

    Como pode o vice-presidente, senhor Wagner Ormangi, subir no púlpito e pedir para o povo adorarem o profeta do diabo Aldo Bertoni, e ao mesmo tempo, declarar diante da Justiça que Aldo Bertoni era bandido e usava o dinheiro da igreja em benefício próprio ??

    Vejam vocês !!! Pasmem !! São afirmações feitas pelo próprio vice-presidente senhor Wagner Ormangi;

    Será que os apostólicos não conseguem enxergar que existe coisa errada nesta seita denominada igreja apostólica ??

    Curtir

  3. Valter Solyom 24/06/2017 às 08:29 #

    Falar mal de alguém pode te levar a justiça!Olha a ética!
    Isso já te aconteceu?
    Alguém já falou mal de tí?
    Você já fez motim para falar mal de alguém?
    Se fez, ou se foi vítima de falação, saiba que isso é CRIME.

    As práticas da fofoca, da insinuação e calúnia em qualquer agrupamento de pessoas sempre serão extremamente prejudiciais à harmonia e a continuidade da paz nos relacionamentos. A questão é tão séria que o Código Penal Brasileiro dedica os artigos 138 a 145, prevendo que quem pratica tais atos, são passíveis de multa e detenção de até 2 anos. Se a nação brasileira trata com rigor este tema, nós, discípulos de Cristo Jesus não podemos tratá-lo com leviandade. Não é admissível a prática de tais atos no Corpo de Cristo e nas famílias que a compõe.

    A força do fofoqueiro está na atenção que atrai daqueles que o ouvem. Um mexeriqueiro sem ouvintes, não tem o que mexericar. Quem calunia gosta de dados hipotéticos, tem prazer em suscitar nas mentes do outros a dúvida da moral e idoneidade das outras pessoas, tem prazer em ver as outras pessoas caírem, de palnatr a dúvida no coração das pessoas. O seu prazer está na confusão e intrigas. Reflexo da sua própria imagem. Na verdade vive a causar intrigas, é um infeliz dentro de casa, no trabalho e na igreja que congrega. Quem vive assim, deve refletir seriamente, se é nova criatura.

    O que você deve fazer quando envolvido numa situação similar?
    A instrução ética de Jesus acerca destes casos é direta: “Se teu irmão pecar contra ti, vai argüi-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.” Mateus 18.15. Não dê espaço para fofoca. Não seja ouvinte do fofoqueiro. Não seja um com ele. Gregory Friezzell é cristalino quando diz: “…se alguém começar a lhe contar coisas críticas ou sugestivas a respeito de outrem, você sabe imediatamente que ele está pecando contra Deus. De fato, se nos encontramos frequentemente especulando sobre os pecados na vida dos outros, nós já incorremos num pecado maior.”Isso eu tirei do livro Liberando o Fluir do Avivamento. página.69.

    Eu sou boa ouvinte e praticante quanto ao que a Bíblia Sagrada nos corrige e previne acerca destas atitudes malignas. 1. Controle a sua língua: Tiago 3.6-13. 2. Não dê ouvidos para aquele que quer fofocar em seus ouvidos. Repreenda-o na Palavra de Deus, conforme: Mateus 18.15-17. 3. Não tolere este comportamento: Efésios 5.11. 4. Seja um guardião da paz: Efésios 4.3. 5. Se você tem sido um caluniador, você deve dar dois passos: I. Arrependa-se confesse a Deus: Provérbios 28.13; 1 João 1.9; Joel 2.12-13 II. Peça perdão e repare os erros às pessoas que machucou e ofendeu. Mateus 5.23-24; Mateus 6.14-15.

    O hábito de falar mal dos outros…

    “Você viu fulano? Ele só esta onde esta por que vive puxando o tapete dos outros. E sicrano? Dizem que a mulher dele tem caso com outro homem. Beltrano? Imagina ele não tem nada, ele é hipocondríaco. Vivo trabalhando até mais tarde por que tenho fazer serviço dos outros”.

    Você já ouviu que falam por ai?

    Infelizmente as pessoas encontraram um novo habito. O péssimo habito de falar mal dos outros. Não importa o lugar, pode ser no café, no bar, na festa ou mesmo no lar. O habito de falar mal dos outros está presente em todas às áreas da sociedade, esta presente no nosso dia a dia. É infinitamente enorme o numero de fofoqueiros de e que habitualmente temperam suas “historias” com pitadas de veneno. Sem pensar duas vezes, a moral dos outros é posta em cheque, pela maldade desses fofoqueiros de plantão, que se julgam juizes.

    Em 90% dos casos, as pessoas que falam mal das outras, são absolutamente infelizes, afinal, alguém que tem como sua maior preocupação a vida alheia, além de não ter o que fazer deve realmente ser muito infeliz. É comum pessoas assim, serem potencialmente um vulcão de mentiras além de não pouparem ninguém. Falam mal do chefe e da mulher do chefe, do companheiro de trabalho e também da sua esposa, da faxineira, do mecânico, do medico, do operário, fala mal do irmão, do amigo e chega ao cumulo de falar mal até mesmo dos próprios pais. Confunde sem a menor cerimônia os indivíduos e suas funções, não diferenciam o homem do profissional.
    A pessoa que tem como habito, esse tipo de fofoca venenosa, atribui cinicamente, todos os seus fracassos ao sucesso alheio e a sua maior realização é obter êxito ao tentar ofuscar o brilho de outras pessoas.

    Cada riso, cada sinal da felicidade alheia, já é motivo suficiente para que o individuo sofra compulsivamente. Indignado o individuo que cuida mais da vida de seu vizinho, do que da sua própria vida, vive a se perguntar o “por que?” de tamanha felicidade, já que o mesmo imagina-se sempre superior aos demais. Seus pensamentos e atitudes são recheados de repulsa e da mais pura inveja.

    Como o que colhemos é exatamente o que plantamos, pessoas assim, costumeiramente vivem muito mais que as outras, desta forma seu sofrimento também é maior e de uma intensidade sem limites.

    Então…a pessoa pode ser presa por falar mal dos outros?
    Calúnia
    Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
    Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
    § 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.
    § 2º – É punível a calúnia contra os mortos.
    Exceção da verdade
    § 3º – Admite-se a prova da verdade, salvo:
    I – se, constituindo o fato imputado crime de ação privada, o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível;
    II – se o fato é imputado a qualquer das pessoas indicadas no nº I do art. 141;
    III – se do crime imputado, embora de ação pública, o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível.
    Difamação
    Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
    Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.
    Exceção da verdade
    Parágrafo único – A exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções.
    Injúria
    Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
    Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.
    § 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:
    I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;
    II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.
    § 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
    Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
    § 3° Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência:
    Pena – reclusão de um a três anos e multa.
    Disposições comuns
    Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:
    I – contra o Presidente da República, ou contra chefe de governo estrangeiro;
    II – contra funcionário público, em razão de suas funções;
    III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.
    IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria.
    Parágrafo único – Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.
    Exclusão do crime
    Art. 142 – Não constituem injúria ou difamação punível:
    I – a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador;
    II – a opinião desfavorável da crítica literária, artística ou científica, salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar;
    III – o conceito desfavorável emitido por funcionário público, em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.
    Parágrafo único – Nos casos dos ns. I e III, responde pela injúria ou pela difamação quem lhe dá publicidade.
    Retratação
    Art. 143 – O querelado que, antes da sentença, se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação, fica isento de pena.
    Art. 144 – Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa.
    Art. 145 – Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.
    Parágrafo único – Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça, no caso do n.º I do art. 141, e mediante representação do ofendido, no caso do n.º II do mesmo artigo

    Gente, isso é sério…eu sinceramente…procuro FECHAR MINHA BOCA e ser boa ouvinte apenas… já pensou? Se eu disser que fulana é feia e ela for a delegacia, eu posso ser presa…basta ela ter 02 testemunhas…e isso é fato…é bem fácil de se conseguir, quem dirá, essas bobagensque sem querer as pessoas fazer, comunidades ofensivas, conversas em msn (eu gravo todas), e-mail’s, depoiemntos de orkut… é muito sério falar mal dos outros, principalmente quando “cultuamos” os “motins”…divulgamos nossa opinião como verdade…

    Vamos pensar bem antes d efalarmos mal de alguém ! Isso é fato! Podemos prejudicar pessoas por conta da língua.

    É CRIME FALAR MAL DA EMPRESA?

    Dependendo de como você “meteu o pau” – difamação, perfeitamente cabível com relação a pessoa jurídica.

    Caso tenha mencionado alguma pessoa física – dono, gerente, funcionário – dependendo do que foi dito: calúnia, injúria ou difamação. Dente por dente, olho por olho…”(Ex 21.24,25).

    Segundo a Bíblia:

    A principal arma usada pelos gladiadores crentes, está no seu próprio corpo e chama-se LÍNGUA! É uma arma muito perigosa, que corta na profundidade da alma e traz sobre aqueles que a usam inconseqüentemente, o extremo da condenação eterna.(Mc 3.29).
    A seguir e veja alguns dos muitos pecados cometidos pelo uso inconseqüente da língua e suas conseqüências diante do Deus todo poderoso.
    a) Difamação:

    ”A pessoa que diz mentiras (difama) a respeito dos outros e tão perigosa quanto uma espada…” (Pv 25.16) Veja ainda: Lv 19.16 e Pv 16.28-30

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- “Tirar a boa fama ou o crédito a; desacreditar publicamente; infamar, detrair, falar mal.”
    2- “Imputar a (alguém) um fato concreto e circunstanciado, ofensivo de sua reputação, conquanto não definido como crime.”
    A difamação, é crime contra a honra, previsto no Código Penal Brasileiro. Infelizmente, nos deparamos com estes criminosos em grande quantidade dentro das igrejas,escolas, universidades, condominios, círculo daqueles que se dizem amigos, etc…

    E diante de Deus um pecado:

    ”Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tg 4.11

    ”Aquele que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho… Quem deste modo procede não será jamais abalado.” (Sl 15.3,5)

    Jesus diz:
    “Deixai-os: são cegos, guias de cegos… cairão ambos no barranco.” (Mt 15.14)
    Os Servos do Senhor, devem primar pelos santos padrões ditados, e serão possuidores da vitória eterna.

    b) Calúnia:

    ”Nos últimos dias sobrevirá tempos difíceis; pois os homens serão… caluniadores… Foge também destes” (2Tm 3.1-5)

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- Difamar, fazendo acusações falsas, Mentira, falsidade, invenção.
    2- (Jur.) Atribuir falsamente a (alguém) fato definido como crime.

    A Calunia pode ser feita através da mentira, falsidade e invenção contra alguém. O Código Penal Brasileiro prevê penas contra os caluniadores.

    A Bíblia condena a calunia:
    ”Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Ex 20.16
    Este mandamento protege o nome e a reputação do próximo. Ninguém deve fazer declarações falsas a respeito do caráter ou dos atos de outra pessoa. Devemos falar de modo justo e honesto a respeito de quem quer que seja.
    ”Não espalharás notícias falsas… Da falsa acusação te afastarás…” (Ex 23.1,7)
    ”Seis cousas o Senhor aborrece… testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre os irmãos.” (Pv 6.16,19)
    ”A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras perece”(Pv 19.9)

    Conhecedores da gravidade desta situação, é necessário que o Servo do Senhor se aparte de toda forma de Calúnia e que procure viver em santidade.

    c) Boato:

    ”Não tem eles sinceridade nos seus lábios; o seu íntimo e de todo crimes; a sua garganta é sepulcro aberto, e com a língua lisonjeiam (adulam).” (Sl 5.9)

    O Dicionário Aurélio o define como:
    – “Notícia anônima que corre publicamente sem confirmação. balela, rumor”.

    Com certeza é uma obra que procede do coração maligno. E o diabo usa de seus demônios para entrarem nas igrejas e despertarem as pessoas a usarem suas línguas para esta prática.

    Se você não tem certeza de um fato, qual a necessidade de espalhá-lo?

    ”Não espalharás notícias falsas…” (Ex 23.1)
    é a determinação do Senhor para seu povo!

    Quanto aos Mexeriqueiros, são condenados pela Bíblia em seu agir. E se continuarem nesta prática, pouco importa a condição de membro de uma igreja, ou mesmo, o cargo de líder ou os possíveis dons concedidos por um espírito de engano. O fim destes é a condenação eterna!

    d) Murmuração:

    ”…As vossas murmurações não são contra nós, e sim contra o Senhor.” (Ex 16.8)
    ”Todos os filhos de Israel murmuraram… Disse o Senhor… Até quando me provocará este povo… Com pestilência o ferirei, e o deserdarei…” (Nm 14.2,11,12)
    ”Não murmureis como alguns murmuraram, e foram destruídos pelo exterminador.” (1Co 10.10)

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- Censurar ou repreender disfarçadamente e em voz baixa.
    2- Dizer mal; maldizer; conceber mau juízo
    3- Falar (contra alguém ou algo); criticar
    4- Conversar, difamando ou desacreditando.
    5- Soltar queixumes; lastimar-se em voz baixa; resmungar, resmungar
    6- Dizer mal de alguém; apontar faltas; conceber mau juízo.

    Os praticantes desta afronta ao Senhor, com certeza não herdarão o paraíso como morada eterna. Na caminhada dos Israelitas, nos é mostrado o rigor com o qual são tratados tais homens. (Nm 14.27-38; 1Co 10.5-10; Hb 3.10-18)

    Paulo escreve aos de Corinto e explica que Deus ordenou o seu julgamento sobre Israel por sua desobediência e incredulidade, para que isso servisse de advertência a todos os servos do Senhor da atualidade e para aqueles que ainda hão de serem chamados (1Co 10.11).

    ”Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.” (Hb 3.12)

    No deserto ficaram praticamente todos os que saíram do Egito, fracassaram na obediência; este fato é uma advertência, para que os caminhos trilhados por eles, não sejam os mesmo trilhados pela igreja hoje.
    É preciso voltar-se para o Senhor, excluindo da vida todas as práticas contrárias ao Seu querer, inclusive a “murmuração” e observarmos: “Sedes santos como o Senhor é santo” (Rm 12.1,2)
    Paulo aconselha aos de Colossos a proferirem palavras exclusivamente agradáveis e temperadas ou equilibradas. Assim deve ser a conversa do Filho de Deus, agradável, cativante, amável, graciosa e acima de tudo verdadeira. Esta linguagem origina-se na graça de Deus, só é possível desenvolvê-la, quando o homem encontra-se cheio, trasbordante do Espírito Santo.

    ”De boas palavras transborda o meu coração… nos teus lábios se extravasou a graça; por isso Deus te abençoou para sempre.” (Sl 45.1,2)

    b) Vigiando no falar e no agir:

    ”Ordena e ensina… Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, tornar-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (1Tm 4.11,12)

    c) Língua segundo o Espírito de Deus:

    ”Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Sl 141.3)
    ”E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus…”(Sl 40.3)
    ”Habite ricamente em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão, em vossos corações. E tudo que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus.” (Cl 3.16,17)
    As nossas palavras não podem ser jogadas ao vento, necessitam serem sérias, cheia de unção.
    Segundo este princípio, tornar-se impossível que o Servo compartilhe as mesmas conversas imundas, eróticas ou impróprias, conte as mesmas anedotas. Resumindo, “Não se assenta na roda dos escarnecedores!”
    “A boca do justo é manancial de vida…” (Pv 10.11)

    O controle de nossa língua é um dever!
    Sermos cheios do Espírito Santo, é a única forma de servirmos verdadeiramente a Deus.

    Espero que antes de falar de alguém, possamos pensar no que podemos está causando a pessoa de quem falamos.

    Deus abençoe a todos nós!

    Curtir

    • lijoju2014 17/07/2017 às 14:07 #

      ESCLARECIMENTO AO SENHOR VALTER SOLYOM.

      É interessante a sua defesa em relação à seita apostólica. Em primeiro lugar, porque o seu pai é presidente desta seita. Provavelmente esta seja a sua grande motivação para tantas defesas. O seu grande motivo é material. Defender o patrimônio do satanás.

      A grande verdade é que você ainda não teve um encontro com o verdadeiro pastor de nossas almas que é Jesus Cristo. Você ainda não conhece Deus. Se conhecesse Deus e seu filho amado Jesus Cristo, jamais sairia em defesa de uma seita que nega o sacrifício de Jesus Cristo. Uma seita que nega a divindade de Jesus Cristo.

      A seita apostólica prega que o sacrifício de Jesus Cristo não foi suficiente para salvar o homem. A seita apostólica apregoa que só tem salvação quem crê em pessoas mortas.

      Dai entendermos que você, Valter Solyom, nunca leu a bíblia, ou se leu, nada entendeu.

      Porque você não pergunta para o seu pai, o Pastor José Solyom que é o presidente da seita apostólica, qual é o motivo que nos púpitos da igreja, ele prega para o povo adorar o profeta do diabo Aldo Bertoni e nos documentos enviados à justiça ele juntamente com o vice-presidente senhor Wagner Ormangi, afirmam que o tal Aldo Bertoni é ladrão e usou dos recursos da igreja para enriquecimento próprio ???

      Ora senhor Walter Solyom.!!! Não somos nós que estamos fazendo tal afirmação. Quem está dizendo para a justiça que o Aldo Bertoni é bandido é o seu pai (pastor José Solyom , juntamente com o vice-presidente Wagner Ormangi).

      Porque você não explica estas coisas ??

      Que Deus tenha misericórdia de você e de tantas outras pessoas que por diversos motivos particulares continuam a defender a obra de satanás.

      Curtir

  4. Valter Solyom 24/06/2017 às 08:29 #

    E mais, quemFalar mal de alguém pode te levar a justiça!Olha a ética!
    Isso já te aconteceu?
    Alguém já falou mal de tí?
    Você já fez motim para falar mal de alguém?
    Se fez, ou se foi vítima de falação, saiba que isso é CRIME.

    As práticas da fofoca, da insinuação e calúnia em qualquer agrupamento de pessoas sempre serão extremamente prejudiciais à harmonia e a continuidade da paz nos relacionamentos. A questão é tão séria que o Código Penal Brasileiro dedica os artigos 138 a 145, prevendo que quem pratica tais atos, são passíveis de multa e detenção de até 2 anos. Se a nação brasileira trata com rigor este tema, nós, discípulos de Cristo Jesus não podemos tratá-lo com leviandade. Não é admissível a prática de tais atos no Corpo de Cristo e nas famílias que a compõe.

    A força do fofoqueiro está na atenção que atrai daqueles que o ouvem. Um mexeriqueiro sem ouvintes, não tem o que mexericar. Quem calunia gosta de dados hipotéticos, tem prazer em suscitar nas mentes do outros a dúvida da moral e idoneidade das outras pessoas, tem prazer em ver as outras pessoas caírem, de palnatr a dúvida no coração das pessoas. O seu prazer está na confusão e intrigas. Reflexo da sua própria imagem. Na verdade vive a causar intrigas, é um infeliz dentro de casa, no trabalho e na igreja que congrega. Quem vive assim, deve refletir seriamente, se é nova criatura.

    O que você deve fazer quando envolvido numa situação similar?
    A instrução ética de Jesus acerca destes casos é direta: “Se teu irmão pecar contra ti, vai argüi-lo entre ti e ele só. Se ele te ouvir, ganhaste a teu irmão.” Mateus 18.15. Não dê espaço para fofoca. Não seja ouvinte do fofoqueiro. Não seja um com ele. Gregory Friezzell é cristalino quando diz: “…se alguém começar a lhe contar coisas críticas ou sugestivas a respeito de outrem, você sabe imediatamente que ele está pecando contra Deus. De fato, se nos encontramos frequentemente especulando sobre os pecados na vida dos outros, nós já incorremos num pecado maior.”Isso eu tirei do livro Liberando o Fluir do Avivamento. página.69.

    Eu sou boa ouvinte e praticante quanto ao que a Bíblia Sagrada nos corrige e previne acerca destas atitudes malignas. 1. Controle a sua língua: Tiago 3.6-13. 2. Não dê ouvidos para aquele que quer fofocar em seus ouvidos. Repreenda-o na Palavra de Deus, conforme: Mateus 18.15-17. 3. Não tolere este comportamento: Efésios 5.11. 4. Seja um guardião da paz: Efésios 4.3. 5. Se você tem sido um caluniador, você deve dar dois passos: I. Arrependa-se confesse a Deus: Provérbios 28.13; 1 João 1.9; Joel 2.12-13 II. Peça perdão e repare os erros às pessoas que machucou e ofendeu. Mateus 5.23-24; Mateus 6.14-15.

    O hábito de falar mal dos outros…

    “Você viu fulano? Ele só esta onde esta por que vive puxando o tapete dos outros. E sicrano? Dizem que a mulher dele tem caso com outro homem. Beltrano? Imagina ele não tem nada, ele é hipocondríaco. Vivo trabalhando até mais tarde por que tenho fazer serviço dos outros”.

    Você já ouviu que falam por ai?

    Infelizmente as pessoas encontraram um novo habito. O péssimo habito de falar mal dos outros. Não importa o lugar, pode ser no café, no bar, na festa ou mesmo no lar. O habito de falar mal dos outros está presente em todas às áreas da sociedade, esta presente no nosso dia a dia. É infinitamente enorme o numero de fofoqueiros de e que habitualmente temperam suas “historias” com pitadas de veneno. Sem pensar duas vezes, a moral dos outros é posta em cheque, pela maldade desses fofoqueiros de plantão, que se julgam juizes.

    Em 90% dos casos, as pessoas que falam mal das outras, são absolutamente infelizes, afinal, alguém que tem como sua maior preocupação a vida alheia, além de não ter o que fazer deve realmente ser muito infeliz. É comum pessoas assim, serem potencialmente um vulcão de mentiras além de não pouparem ninguém. Falam mal do chefe e da mulher do chefe, do companheiro de trabalho e também da sua esposa, da faxineira, do mecânico, do medico, do operário, fala mal do irmão, do amigo e chega ao cumulo de falar mal até mesmo dos próprios pais. Confunde sem a menor cerimônia os indivíduos e suas funções, não diferenciam o homem do profissional.
    A pessoa que tem como habito, esse tipo de fofoca venenosa, atribui cinicamente, todos os seus fracassos ao sucesso alheio e a sua maior realização é obter êxito ao tentar ofuscar o brilho de outras pessoas.

    Cada riso, cada sinal da felicidade alheia, já é motivo suficiente para que o individuo sofra compulsivamente. Indignado o individuo que cuida mais da vida de seu vizinho, do que da sua própria vida, vive a se perguntar o “por que?” de tamanha felicidade, já que o mesmo imagina-se sempre superior aos demais. Seus pensamentos e atitudes são recheados de repulsa e da mais pura inveja.

    Como o que colhemos é exatamente o que plantamos, pessoas assim, costumeiramente vivem muito mais que as outras, desta forma seu sofrimento também é maior e de uma intensidade sem limites.

    Então…a pessoa pode ser presa por falar mal dos outros?
    Calúnia
    Art. 138 – Caluniar alguém, imputando-lhe falsamente fato definido como crime:
    Pena – detenção, de seis meses a dois anos, e multa.
    § 1º – Na mesma pena incorre quem, sabendo falsa a imputação, a propala ou divulga.
    § 2º – É punível a calúnia contra os mortos.
    Exceção da verdade
    § 3º – Admite-se a prova da verdade, salvo:
    I – se, constituindo o fato imputado crime de ação privada, o ofendido não foi condenado por sentença irrecorrível;
    II – se o fato é imputado a qualquer das pessoas indicadas no nº I do art. 141;
    III – se do crime imputado, embora de ação pública, o ofendido foi absolvido por sentença irrecorrível.
    Difamação
    Art. 139 – Difamar alguém, imputando-lhe fato ofensivo à sua reputação:
    Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa.
    Exceção da verdade
    Parágrafo único – A exceção da verdade somente se admite se o ofendido é funcionário público e a ofensa é relativa ao exercício de suas funções.
    Injúria
    Art. 140 – Injuriar alguém, ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro:
    Pena – detenção, de um a seis meses, ou multa.
    § 1º – O juiz pode deixar de aplicar a pena:
    I – quando o ofendido, de forma reprovável, provocou diretamente a injúria;
    II – no caso de retorsão imediata, que consista em outra injúria.
    § 2º – Se a injúria consiste em violência ou vias de fato, que, por sua natureza ou pelo meio empregado, se considerem aviltantes:
    Pena – detenção, de três meses a um ano, e multa, além da pena correspondente à violência.
    § 3° Se a injúria consiste na utilização de elementos referentes a raça, cor, etnia, religião, origem ou a condição de pessoa idosa ou portadora de deficiência:
    Pena – reclusão de um a três anos e multa.
    Disposições comuns
    Art. 141 – As penas cominadas neste Capítulo aumentam-se de um terço, se qualquer dos crimes é cometido:
    I – contra o Presidente da República, ou contra chefe de governo estrangeiro;
    II – contra funcionário público, em razão de suas funções;
    III – na presença de várias pessoas, ou por meio que facilite a divulgação da calúnia, da difamação ou da injúria.
    IV – contra pessoa maior de 60 (sessenta) anos ou portadora de deficiência, exceto no caso de injúria.
    Parágrafo único – Se o crime é cometido mediante paga ou promessa de recompensa, aplica-se a pena em dobro.
    Exclusão do crime
    Art. 142 – Não constituem injúria ou difamação punível:
    I – a ofensa irrogada em juízo, na discussão da causa, pela parte ou por seu procurador;
    II – a opinião desfavorável da crítica literária, artística ou científica, salvo quando inequívoca a intenção de injuriar ou difamar;
    III – o conceito desfavorável emitido por funcionário público, em apreciação ou informação que preste no cumprimento de dever do ofício.
    Parágrafo único – Nos casos dos ns. I e III, responde pela injúria ou pela difamação quem lhe dá publicidade.
    Retratação
    Art. 143 – O querelado que, antes da sentença, se retrata cabalmente da calúnia ou da difamação, fica isento de pena.
    Art. 144 – Se, de referências, alusões ou frases, se infere calúnia, difamação ou injúria, quem se julga ofendido pode pedir explicações em juízo. Aquele que se recusa a dá-las ou, a critério do juiz, não as dá satisfatórias, responde pela ofensa.
    Art. 145 – Nos crimes previstos neste Capítulo somente se procede mediante queixa, salvo quando, no caso do art. 140, § 2º, da violência resulta lesão corporal.
    Parágrafo único – Procede-se mediante requisição do Ministro da Justiça, no caso do n.º I do art. 141, e mediante representação do ofendido, no caso do n.º II do mesmo artigo

    Gente, isso é sério…eu sinceramente…procuro FECHAR MINHA BOCA e ser boa ouvinte apenas… já pensou? Se eu disser que fulana é feia e ela for a delegacia, eu posso ser presa…basta ela ter 02 testemunhas…e isso é fato…é bem fácil de se conseguir, quem dirá, essas bobagensque sem querer as pessoas fazer, comunidades ofensivas, conversas em msn (eu gravo todas), e-mail’s, depoiemntos de orkut… é muito sério falar mal dos outros, principalmente quando “cultuamos” os “motins”…divulgamos nossa opinião como verdade…

    Vamos pensar bem antes d efalarmos mal de alguém ! Isso é fato! Podemos prejudicar pessoas por conta da língua.

    É CRIME FALAR MAL DA EMPRESA?

    Dependendo de como você “meteu o pau” – difamação, perfeitamente cabível com relação a pessoa jurídica.

    Caso tenha mencionado alguma pessoa física – dono, gerente, funcionário – dependendo do que foi dito: calúnia, injúria ou difamação. Dente por dente, olho por olho…”(Ex 21.24,25).

    Segundo a Bíblia:

    A principal arma usada pelos gladiadores crentes, está no seu próprio corpo e chama-se LÍNGUA! É uma arma muito perigosa, que corta na profundidade da alma e traz sobre aqueles que a usam inconseqüentemente, o extremo da condenação eterna.(Mc 3.29).
    A seguir e veja alguns dos muitos pecados cometidos pelo uso inconseqüente da língua e suas conseqüências diante do Deus todo poderoso.
    a) Difamação:

    ”A pessoa que diz mentiras (difama) a respeito dos outros e tão perigosa quanto uma espada…” (Pv 25.16) Veja ainda: Lv 19.16 e Pv 16.28-30

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- “Tirar a boa fama ou o crédito a; desacreditar publicamente; infamar, detrair, falar mal.”
    2- “Imputar a (alguém) um fato concreto e circunstanciado, ofensivo de sua reputação, conquanto não definido como crime.”
    A difamação, é crime contra a honra, previsto no Código Penal Brasileiro. Infelizmente, nos deparamos com estes criminosos em grande quantidade dentro das igrejas,escolas, universidades, condominios, círculo daqueles que se dizem amigos, etc…

    E diante de Deus um pecado:

    ”Irmãos, não faleis mal uns dos outros. Aquele que fala mal do irmão, ou julga a seu irmão, fala mal da lei, e julga a lei; ora, se julgas a lei, não és observador da lei, mas juiz.” Tg 4.11

    ”Aquele que não difama com sua língua, não faz mal ao próximo, nem lança injúria contra o seu vizinho… Quem deste modo procede não será jamais abalado.” (Sl 15.3,5)

    Jesus diz:
    “Deixai-os: são cegos, guias de cegos… cairão ambos no barranco.” (Mt 15.14)
    Os Servos do Senhor, devem primar pelos santos padrões ditados, e serão possuidores da vitória eterna.

    b) Calúnia:

    ”Nos últimos dias sobrevirá tempos difíceis; pois os homens serão… caluniadores… Foge também destes” (2Tm 3.1-5)

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- Difamar, fazendo acusações falsas, Mentira, falsidade, invenção.
    2- (Jur.) Atribuir falsamente a (alguém) fato definido como crime.

    A Calunia pode ser feita através da mentira, falsidade e invenção contra alguém. O Código Penal Brasileiro prevê penas contra os caluniadores.

    A Bíblia condena a calunia:
    ”Não dirás falso testemunho contra o teu próximo” (Ex 20.16
    Este mandamento protege o nome e a reputação do próximo. Ninguém deve fazer declarações falsas a respeito do caráter ou dos atos de outra pessoa. Devemos falar de modo justo e honesto a respeito de quem quer que seja.
    ”Não espalharás notícias falsas… Da falsa acusação te afastarás…” (Ex 23.1,7)
    ”Seis cousas o Senhor aborrece… testemunha falsa que profere mentiras, e o que semeia contendas entre os irmãos.” (Pv 6.16,19)
    ”A falsa testemunha não fica impune, e o que profere mentiras perece”(Pv 19.9)

    Conhecedores da gravidade desta situação, é necessário que o Servo do Senhor se aparte de toda forma de Calúnia e que procure viver em santidade.

    c) Boato:

    ”Não tem eles sinceridade nos seus lábios; o seu íntimo e de todo crimes; a sua garganta é sepulcro aberto, e com a língua lisonjeiam (adulam).” (Sl 5.9)

    O Dicionário Aurélio o define como:
    – “Notícia anônima que corre publicamente sem confirmação. balela, rumor”.

    Com certeza é uma obra que procede do coração maligno. E o diabo usa de seus demônios para entrarem nas igrejas e despertarem as pessoas a usarem suas línguas para esta prática.

    Se você não tem certeza de um fato, qual a necessidade de espalhá-lo?

    ”Não espalharás notícias falsas…” (Ex 23.1)
    é a determinação do Senhor para seu povo!

    Quanto aos Mexeriqueiros, são condenados pela Bíblia em seu agir. E se continuarem nesta prática, pouco importa a condição de membro de uma igreja, ou mesmo, o cargo de líder ou os possíveis dons concedidos por um espírito de engano. O fim destes é a condenação eterna!

    d) Murmuração:

    ”…As vossas murmurações não são contra nós, e sim contra o Senhor.” (Ex 16.8)
    ”Todos os filhos de Israel murmuraram… Disse o Senhor… Até quando me provocará este povo… Com pestilência o ferirei, e o deserdarei…” (Nm 14.2,11,12)
    ”Não murmureis como alguns murmuraram, e foram destruídos pelo exterminador.” (1Co 10.10)

    O Dicionário Aurélio a define como:
    1- Censurar ou repreender disfarçadamente e em voz baixa.
    2- Dizer mal; maldizer; conceber mau juízo
    3- Falar (contra alguém ou algo); criticar
    4- Conversar, difamando ou desacreditando.
    5- Soltar queixumes; lastimar-se em voz baixa; resmungar, resmungar
    6- Dizer mal de alguém; apontar faltas; conceber mau juízo.

    Os praticantes desta afronta ao Senhor, com certeza não herdarão o paraíso como morada eterna. Na caminhada dos Israelitas, nos é mostrado o rigor com o qual são tratados tais homens. (Nm 14.27-38; 1Co 10.5-10; Hb 3.10-18)

    Paulo escreve aos de Corinto e explica que Deus ordenou o seu julgamento sobre Israel por sua desobediência e incredulidade, para que isso servisse de advertência a todos os servos do Senhor da atualidade e para aqueles que ainda hão de serem chamados (1Co 10.11).

    ”Tende cuidado, irmãos, jamais aconteça haver em qualquer de vós perverso coração de incredulidade que vos afaste do Deus vivo.” (Hb 3.12)

    No deserto ficaram praticamente todos os que saíram do Egito, fracassaram na obediência; este fato é uma advertência, para que os caminhos trilhados por eles, não sejam os mesmo trilhados pela igreja hoje.
    É preciso voltar-se para o Senhor, excluindo da vida todas as práticas contrárias ao Seu querer, inclusive a “murmuração” e observarmos: “Sedes santos como o Senhor é santo” (Rm 12.1,2)
    Paulo aconselha aos de Colossos a proferirem palavras exclusivamente agradáveis e temperadas ou equilibradas. Assim deve ser a conversa do Filho de Deus, agradável, cativante, amável, graciosa e acima de tudo verdadeira. Esta linguagem origina-se na graça de Deus, só é possível desenvolvê-la, quando o homem encontra-se cheio, trasbordante do Espírito Santo.

    ”De boas palavras transborda o meu coração… nos teus lábios se extravasou a graça; por isso Deus te abençoou para sempre.” (Sl 45.1,2)

    b) Vigiando no falar e no agir:

    ”Ordena e ensina… Ninguém despreze a tua mocidade; pelo contrário, tornar-te padrão dos fiéis, na palavra, no procedimento, no amor, na fé, na pureza.” (1Tm 4.11,12)

    c) Língua segundo o Espírito de Deus:

    ”Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Sl 141.3)
    ”E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus…”(Sl 40.3)
    ”Habite ricamente em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos e hinos e cânticos espirituais, com gratidão, em vossos corações. E tudo que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus.” (Cl 3.16,17)
    As nossas palavras não podem ser jogadas ao vento, necessitam serem sérias, cheia de unção.
    Segundo este princípio, tornar-se impossível que o Servo compartilhe as mesmas conversas imundas, eróticas ou impróprias, conte as mesmas anedotas. Resumindo, “Não se assenta na roda dos escarnecedores!”
    “A boca do justo é manancial de vida…” (Pv 10.11)

    O controle de nossa língua é um dever!
    Sermos cheios do Espírito Santo, é a única forma de servirmos verdadeiramente a Deus.

    Espero que antes de falar de alguém, possamos pensar no que podemos está causando a pessoa de quem falamos.

    Deus abençoe a todos nós! perde tempo cuidando da fé de outrem, nada tem a agregar,

    Curtir

  5. Anderson Mariani 08/05/2017 às 15:36 #

    Martinho, ta sabendo de alguma novidades sobre o impedimentos judiciais dos imoveis ao redor da sede por dividas ?
    dinfera@gmail.com

    Curtir

    • Blog do Martinho 02/06/2017 às 17:06 #

      Sim, meu caro, vários imóveis da igreja foram penhorados para pagamento de dívidas particulares do senhor Aldo Bertoni, feitas em nome da Igreja Apostólica. Em breve discutiremos melhor o assunto.

      Curtir

  6. Ebenézer Macario 15/04/2017 às 20:04 #

    Quantas pessoas seguem na seita após a morte do tarado??

    gr8ebenezer@yahoo.com

    Curtir

    • Blog do Martinho 03/05/2017 às 19:32 #

      Atualmente estimamos por volta de 16 mil pessoas. Graças a Deus ainda tem muitas pessoas saindo, e o “crescimento” ocorre apenas vegetativamente, ou seja, com o nascimento de filhos de apostólicos.

      Curtir

  7. apostolicossempre 06/04/2017 às 13:09 #

    Fiz esse comentário apenas para ser informado por e-mail sobre novos comentários sobre esse post.

    Curtir

    • Ebenézer Macario 15/04/2017 às 19:56 #

      Eu quero também receber novidades. Me interessei por esse tema…Me impressiona como o ser humano se deixa levar por algo desse tipo.

      gr8ebenezer@yahoo.com

      Curtir

      • Maria Célia Rodrigues Silva 23/05/2017 às 23:38 #

        sou apostolico e amo minha igreja e Aldo Bertoni foi o sucessor da Santa Vo Rosa e que foi o consolador prometido por Jesus

        mariacelia123456789@hotmail.com

        Curtir

        • Blog do Martinho 02/06/2017 às 17:08 #

          Isso não passa de um grande engano seu, cara Maria Célia. Procure saber quem foi Aldo Bertoni fora das paredes da Igreja Apostólica, e a senhora também será liberta dessa enganação. Deus a abençoe nessa busca pela verdade.

          Curtir

        • Valter Solyom 24/06/2017 às 08:23 #

          Parabéns Maria Célia, Deus te abençoe, esse pessoal é é igual água embaixo da ponte faz barulho e passa, um deles, teve a oportunidade de administrar a igreja nos anos 80 e foi expulso da igreja por gestão duvidosa, nenhum desses do blog são santos, pelo contrário queriam dominar a igreja e não conseguiram.

          Curtir

Após seu comentário, digite seu e-mail para que outros participantes tenha a oportunidade de entrar em contato com você.

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: